AGENDE SUA CONSULTA PARTICULAR / REEMBOLSO

Consultório no Itaim Bibi

Rua Joaquim Floriano 466 Cj. 603

Itaim Bibi - São Paulo - SP

11 3074-2150

Consultório em Perdizes

Rua Ministro Godói, 478 Cj. 33

Perdizes - São Paulo - SP

11 3865-0312

Excelência exige sensibilidade

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone LinkedIn

1/1

Currículo do Dr. Rodrigo

Graduado em Medicina pela Universidade Metropolitana de Santos 


Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Santa Casa de São Paulo com certificação pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia – FEBRASGO


Especialista em Endoscopia Ginecológica, Laparoscopia, Histeroscopia e Endometriose pela Santa Casa de São Paulo com certificação pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia – FEBRASGO

Fellowship em cirurgia minimamente invasiva e endometriose pela Universidade de Strasbourg, França e pelo IRCAD Strasbourg

Tutor da Academia Européia de cirurgia minimamente invasiva.

 

Professor dos cursos de Anatomia pélvica laparoscópica do IRCAD de Strasbourg e dos cursos de Endometriose, Ginecologia e Oncologia pélvica do IRCAD Brasil

Assistente do Serviço de Oncologia Ginecológica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo - Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

1/1

NÃO ACEITAMOS CONVÊNIOS

Dr. Rodrigo Fernandes - CRM 130.684

FALE CONOSCO

Vamos falar sobre a primeira cirurgia de endometriose

A primeira cirurgia é a cirurgia que vale ouro.
 

A endometriose é uma doença que distribui pela superfície e profundidade da pelve feminina, semelhante ao câncer.


A anatomia da mulher é cheia de detalhes e exige extremo conhecimento.


Os exames de imagem, quando bem realizados, relatam muito bem o que é encontrado. Mas é no intra operatório que vamos ver as reais dificuldades.


O cirurgião deve ser radical na retirada das lesões e econômico na preservação das funções dos órgãos e estruturas da pelve. O grande problema é que muitas das vezes este limiar está “por um fio” o que demanda muita expertise.


Uma cirurgia que deixa para trás muitos implantes aumenta os riscos de permanência de dor e infertilidade. A segunda cirurgia torna-se mais difícil e mais complexa, exigindo ainda maior expertise e com um maior risco de resultados piores.