AGENDE SUA CONSULTA PARTICULAR / REEMBOLSO

ITAIM BIBI >>

Rua Joaquim Floriano 960

Itaim Bibi - São Paulo - SP

11 3079-0866

PERDIZES >>

Rua Ministro Godói, 478 Cj. 33

Perdizes - São Paulo - SP

11 3865-0312

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone LinkedIn

Operamos nos melhores hospitais de São Paulo: Albert Einstein, Sírio Libanês, Santa Joana, Pro Matre, Santa Maria, Samaritano, Nove de Julho e Oswaldo Cruz

Auxiliamos e acompanhamos o processo de solicitação de reembolso junto aos convênios

FALE CONOSCO

Por Consutti para Dr. Rodrigo Fernandes - CRM 130.684

Excelência exige sensibilidade

MAIS SOBRE ENDOMETRIOSE

O que é Endometriose?

Endometriose é a presença de células semelhantes à camada do endométrio fora da cavidade uterina. Atingem preferencialmente a pelve e os órgãos que estão nela contidos como útero, ovários, tubas uterinas, intestino, bexiga entre outros. Com o tempo e o estímulo hormonal do ciclo ovariano as células agrupam-se e formam nódulos  levando a dor e infertilidade.

Quais as causas da Endometriose?

Existem inúmeras teorias que tentam explicar a causa da Endometriose, mas ainda é desconhecida por completo. Acredita-se que o endométrio, camada de dentro do útero, migre através das tubas uterinas para a cavidade pélvica e abdominal. Modificado por algumas mutações ainda desconhecidas, este endométrio é resistente às células de defesa do nosso corpo levando à Endometriose.

A Endometriose é um problema global​?

Endometriose é um problema comum, atingindo em torno de 6.000.000 de mulheres brasileiras e que pode ocorrer em gerações de uma mesma família. Embora normalmente seja tardiamente diagnosticada entre os 25 e 35 anos, a doença provavelmente tem início meses após a primeira menstruação.

Quais os sintomas da Endometriose?

Endometriose provoca dores no período menstrual e fora dele, alterações intestinais ou urinárias, desconforto abdominal e incômodo durante as relações sexuais.  

Há risco de endometriose se transformar em câncer?


Infelizmente sim! E não podemos esconder isso de nossas pacientes. Nas últimas revisões de literatura autores encontraram essa associação, aumentando riscos e 2,5x ou até 3x comparando com mulheres sem endometriose (isso pode ter uma ligeira variação de publicação para publicação). Além de algumas mutações celulares, parece que o ferro tem parte da responsabilidade.
Parte do sangue da menstruação que cai no abdome não é completamente degradado pelo sistema imune. O ferro contido no sangue é responsável pela oxidação excessiva das células, causando danos irreversíveis e aumentando as chances de células de endometriose se transformarem em câncer. A explicação é bem mais complicada do que esta, mas está ai uma forma simplificada de demonstrar o porque pacientes com endometriose tem mais chances de ter câncer, principalmente de ovário. Dieta pobre em carnes vermelhas, rica em anti oxidantes, dia a dia saudável, exercícios físicos regulares são benéficos tanto para os sintomas da endometriose, como para tentar diminuir os supostos estímulos que aumentariam os riscos de câncer.

 

Como a fertilidade feminina pode ser afetada pela Endometriose?

O principal fator de infertilidade causado pela endometriose é a obstrução das tubas uterinas ocorrida diretamente pelas lesões ou redução da sua mobilidade. Isso dificulta o transporte do óvulo e, consequentemente, a fecundação com o espermatozoide. A presença de endometriomas (cistos de endometriose) nos ovários também pode comprometer a fertilidade, pois alteram a capacidade ovulatória ou prejudicam a qualidade dos óvulos. Por fim, as alterações inflamatórias e imunológicas no útero e endométrio podem atrapalhar a implantação do embrião e aumentar a taxa de abortamento. 

Depois da cirurgia, vou conseguir engravidar?

50% das mulheres engravidam espontaneamente após uma cirurgia por endometriose. Sabemos que quanto maiores e mais complexas as aderências maior dificuldade os ovários e as tubas têm em se mobilizar. Mas já encontramos situações de pacientes que apresentavam endometriose severa e mesmo assim conseguiram engravidar.

O que é pélvis congelada?

"Tudo grudado”, “tudo cimentado”, “duro”, “intransponível”, “muito arriscado”... Imagine tentar individualizar estruturas nobres num ambiente hostil onde o limite entre o preciso, demasiado e o incompleto são muito tênues, ou são como um “fio de cabelo”. A pélvis congelada é caracterizada quando encontramos tudo grudado, principalmente ovários, útero, intestino, bexiga, ureteres podendo ser por endometriose, fibrose ou os dois juntos. São nesses casos onde encontramos maior complexidade, temos que lidar com estruturas mais nobres e as vezes alguns exames pré operatórios não demonstram a real dificuldade do caso. São cirurgias com maiores riscos de complicações onde expertise faz a diferença. É aí onde entra uma equipe com amplo conhecimento, experiente, com sinergia e que vai lidar com estas situações da melhor forma possível individualizando caso a caso de acordo com os objetivos de cada paciente. 

Como é feito o tratamento hormonal para Endometriose?

A escolha do melhor tratamento dependerá do perfil de cada mulher. Podemos indicar pílulas à base de progestogênio (precursor da progesterona produzido em laboratório) com a mesma composição do hormônio natural feminino. Ele é antagonista do estrogênio, hormônio que alimenta a endometriose, com baixa ação androgênica, ou seja, não causa aumento de pelos, engrossamento da voz e outras características masculinas. Também podemos implantar o dispositivo intrauterino (DIU) no útero, que libera hormônio por um período prolongado, impedindo a formação do endométrio dentro do útero. Por isso, evita a formação do tecido do lado de fora, mas não trata a doença pois não age nas lesões já existentes.

Fiz bloqueio hormonal mas ainda sinto dor. Por que isso acontece?

Se você faz o bloqueio hormonal na tentativa de se proteger contra a endometriose e sua progressão e mesmo assim sente dor, é hora de reavaliar o quadro e rever o tratamento. Alguns casos podem apresentar nódulos profundos causando retrações, aderências as quais a medicação sozinha pode não ser suficiente para o tratamento. Outras situações podem levar a dor crônica necessitando de acompanhamento multidisciplinar com fisioterapia, acupuntura entre outros. Fiquem atentas aos sintomas!